Agora, só de sari!

Padrão

Tenho me cobrado muito para escrever aqui, mas na real, não é que não tenho assunto, sentimento ou novidades para contar, é que não consigo organizá-los na minha cabeça. E, claro, muito menos transmití-los em palavras que façam sentido. A intensidade e o dinamismo estão sendo meus fiéis companheiros de uns tempos para cá. Mas resolvi que de hoje não passaria.

Vou deixar de lado o trilhão de pensamentos que me confundem neste momento e que dizem respeito a mim, a meus planos, meus anseios e tudo meu, para falar de uma pessoa especial. Não é qualquer uma. É uma de mim. É um pedaço dos três que compõem quem eu sou. Amanhã, ela vai pra Índia. E só volta daqui um ano. Talvez ela mal saiba o tamanho do orgulho que eu tenho dessa decisão dela. Que só comprova que é uma menina mulher de coragem, opinião e atitude. Apesar de admirá-la por isso, não me surpreendo. Sempre tive certeza de que ela surpreenderia. Pra mim, ela ainda é uma criança que briga pra sentar no meio no banco de trás do carro. Pra mim, eu ainda mordo o dedinho gordinho dela pra fazer graça. Mas pra todas as outras pessoas, ela é a Raquel. E não é pouca coisa.

Hoje meu coração está apertado só de pensar na saudade que sentirei dela. Do tempo que não passamos juntas, da ausência física dela nos próximos eventos de família e até da falta que fará para seus amigos. Mas, ao mesmo tempo, estou feliz de imaginar como esse ano será incrível pra vida dela daqui em diante. Que ela vai conhecer um outro mundo, pessoas completamente diferentes, uma cultura riquíssima. Que vai aprender na prática o que ninguém é capaz de estudar. E descobrir uma Raquel que talvez nem ela conheça, nem imagine que possa representar. Vai viver uma experiência de fazer inveja. Mas ela merece. Maktub. Isso é dela e ninguém tira.

O que me conforta é ter certeza que ela pode mudar em todos os aspectos, pode desacreditar em coisas em que sempre teve fé, pode passar a acreditar no que hoje lhe parece inaceitável. Ela pode querer mudar o mundo, lutar por diferentes ideias ou simplesmente deixar de brigar por outros, sossegar, se exaltar… mas a minha irmã Raquel jamais perderá sua essência.

Só eu sei o quanto a desejo sorte.

Por May.

Pra quem quiser aproveitar o momento e ver umas fotos lindíssimas da Índia, mais que recomendo: Incredible India, por Flavita Valsani.

»

  1. =´]

    Max, e se eu disser que eu to me sentindo exatamente da mesma forma, sem tirar nem por?

    Guardadas as devidas proporções, vcs “são duas de mim. Dois pedaços dos três que compõem quem eu sou.”

    boa viagem pra Raquel!!!! =D

  2. nossa!!! vai ser o máximo!!!
    Eita, família globalizada!!!! :)

    Raquel, se vc ler o texto, te desejo o melhor do mundo. E ele existe em qualquer lugar. Não tenho dúvidas de que está te esperando na Índia também. :)
    Que doideira…quando conheci a May, vc era a “irmãzinha”…rs.
    Mto legal essa fase. :)

    May, eu sei que vc tá lendo, então eu tenho um recado pra vc: eu tenho um sári lá em casa (resquício de uma Pororoca) que pode ser usado em um momento de emergência, quando a saudade apertar demais. hahaha
    Serve? :)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s