The end, brotha.

Padrão

Pra mim, esse post de hoje é uma delícia por vários motivos: amo LOST e certamente vou chorar qdo me der conta hoje à noite, qdo verei o episódio, que a série acabou; achei ducaralho a Nat escrever o post ontem depois de ver o último episódio da sério do século; e gente, pensa numa convidada que é leitora assídua do Palavra. Tks, Nat. Seja sempre bem-vinda. (Por May)

*Antes de tudo, quero agradecer à May e às palavretes pelo espaço cedido. É muita emoção, minha gente! Também queria pedir desculpas por demorar tanto para escrever aqui. É que um blog tão especial merece um tema à altura.

*Esse post foi muito bem trabalhado para não mostrar spoilers. Se você ainda não viu o “Lost Series Finale Event”, pode ler tranquilo!

01h12. Faz menos de 20 minutos que Lost acabou. Não, não foi só mais uma temporada, foi o fim DA série. Para alguns, o fim de uma era. Essa tortura, que nos perseguiu pelos últimos seis anos, já era. Nunca mais ouviremos “Previously, on Lost”. Suas terças-feiras (ou quartas, no meu caso) não terão mais aquela tão esperada uma hora de suspense, emoção, tensão e, o mais comum, teorias malucas. Agora, depois de seis anos, nós seremos obrigados a ter uma vida social.

Mas, calma aí, “nós”? Por que eu estou me incluindo nisso? Eu não fiquei seis anos vendo Lost. Na verdade, comecei a ver esse ano. Eu tive a falta de vergonha na cara suficiente para conseguir assistir a sete episódios por dia durante as férias da faculdade. SETE, GALERA. Tirando as horas de sono e as do trabalho, esse era o tempo dos dias da semana que eu tinha livre. Fim de semana e feriado? Uuuh, eu não existia.

E, olha, agora só tenho que agradecer que minha tortura tenha durado só alguns meses, viu. Vejo meus amigos que passaram tanto tempo sofrendo por causa disso e fico muito mais aliviada agora. Por quê? Porque, para mim, Lost não terminou como merecia.

Eu, alguém que, há cinco meses, não fazia a mínima questão de ver série nenhuma, fui pega de jeito pela escotilha, pelos apelidos que o Sawyer dava para todo mundo, “live together or die alone”, pelo mistério do 4-8-15-16-23-42, “DUDE!”, “BROTHA!”, “Jin-sushi”, Dharma, entre tantas outras coisas que fizeram dessa uma série tão única.

E são 02h04 e não consegui falar nada do que queria ainda.

Agora são 11h11 e, claro, sonhei com o episódio de ontem. E decidi não dar spoiler aqui, para não diminuir o número de leitores. =p

As opiniões se dividem. Teve quem adorou e teve quem concorda comigo. Na verdade, não sabia o que esperar, porque era tanta coisa que podia acontecer! Mas, a meu ver, uma coisa não anula a outra: Lost foi uma série incrível. Atores com muita sincronia, fazendo personagens que conquistaram o público (mesmo sendo tão chatos quanto o Jack ou a Kate); enredo marcante, como há muito não se via; trilha sonora impressionante. O conjunto da obra é memorável.

12h41. Como já era de se esperar, continuo cheia de dúvidas. Todo mundo já sabia que poucas coisas seriam esclarecidas na última temporada. Mas não me importo muito com isso. Lost não foi uma série feita para ser assistida e dizer “amém” no final. Foi feita para ser questionada a cada novo capítulo. Aceitação e conformismo não tem o menor espaço, e é isso que faz a série ser tão original e querida. Esse foi um dos poucos programas de TV que colocou o público para pensar, por mais mirabolantes que fossem esses pensamentos. E vamos sentir falta, sim. Flash Forward foi cancelada, e era a série que tinha uma remota chance de chegar perto do cambalacho que Lost criou. E agora, mundo? Continuaremos perdidos…

*Eu sabia que dava para confiar no Bem. Não gostava dele por nada.

*Até cheguei a gostar do Jack em dado momento (o que é um milagre).

Por Natsim, ela tem dois blogs incríveis: Caleidoscópio Dental e In Shuffle We Trust. Visitem!

Anúncios

»

  1. Tá bom, galera!!
    O post foi o argumento que faltava.
    Fiquei mó curioso e vou começar a assistir Lost hoje mesmo. Por favor, não falem comigo nos próximos 2 anos. Não quero spoilers… hahaha..
    Agora, sério: Adorei…
    Beijoca

  2. Se prepare para não ter vida social pelos próximos dois anos, ok?
    Ah, como pude esquecer de agradecer aos que me induziram ao vício em Lost? Um especial obrigada à May, Javi e Bruno!

  3. ebaaaaaaaaaaaaaaa!!!
    obrigada, Nat. como “comentadora” ou “postadora”, sua participação é sempre excelente. :)
    menina, e eu que nunca vi UM trecho de Lost?!
    mas tenho certeza de que se assistir a um segundo, viciarei tb…
    eu fiz um intensivão de férias como vc, mas foi com Sex and the City!!

    to gostando de ver as reações alheias com o fim da série…rs
    vc tá se sentindo órfã??

  4. Aaaaai, Sex and The City, que delícia, mal espero pra ver o segundo filme, ver o Aidan-LINDO-MARAVILHOSO de novo *__*
    Olha, não tô me sentindo tão órfã quanto a May parece estar, mas, na última cena do último episódio, me bateu uma vontade absurda de assistir tudo de novo! E vocês dois, Charlie e Má-má, tem que assistir!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s