Um outro mundo logo ali

Padrão

Eu já visto aquilo em menor quantidade, mas, sinceramente, achei que seria o máximo que veria na vida.

Meus ossos doíam e, somente ali, ficou claro que eu não estava vestida adequadamente. Mais que isso, eu não estava preparada – nem saberei se um dia estarei no futuro – para chegar tão perto de algo tão absurdo, tão longe da minha realidade.

A princípio, a escolha era mais familiar, mais calorosa, posso dizer. Hoje vejo, que por sorte, foi diferente. Literalmente oposto, aliás. Naquele ambiente hostil eu achei que ficaria deslocada, sem saber muito o que fazer. Como eu disse, a roupa não era a mais adequada, mas – nossa! – como é que eu nunca tinha pensado em estar aqui antes!?

De repente, tomo um susto. Um dos grandes e bem barulhentos. É som de chuva. Vai chover? Não! O sol está forte, apesar de não ser suficiente para manter meus dedos e nariz na mesma temperatura que o resto do corpo, e o céu está azul. Caramba! Não me diga que é ela que fez esse barulho! De novo? E ela não pára. Reclama, reclama, reclama, mas não sai do lugar.

Só parece que não sai. Porque, junto com as quatro estações, ela vai, vem, volta, fica. Às vezes ela também é azul; mas isso depende de quanto o sol libera sua própria luz e deixa de lado o exibicionismo para oferecer um espetáculo a quem está ali, pequeno, olhando, ouvindo e às vezes disfarçando o nariz dominado pela lágrima represada, fingindo ser efeito da temperatura negativa.

Não, não estou falando de nenhuma experiência extraterrestre ou qualquer outro absurdo que possa parecer.

Estou falando do Perito Moreno, a geleira (ou glaciar, como eles chamam) mais famosa de El Calafate, um pedaço de pré-história que fica no mesmo continente que o nosso, na Argentina. A viagem de férias que antes seria para o México teve que ser transferida por causa de um porquinho safado que sei lá como passou um vírus para uma criança que vivia em sua fazenda (porco é bom só na feijoada!).

Eu já tinha visto neve, mas não naquele formato, nem naquela quantidade. Ah! E o som de chuva do Perito? É assustador. São barulhos de trovão que indicam que lá no meio do glaciar, os blocos de gelo estão se desprendendo. Nem parece real, mas tenho certeza de que a Disney não conseguiria reproduzir esse espetáculo artificialmente.

Eu não poderia ter ido para outro lugar nessas férias, mas que as roupas poderiam ser mais quentes, isso poderiam. Separei um pedacinho dessa experiência aqui. Pena que não é sonora e ainda bem que não diminui a temperatura ambiente.

2009_05_Patagonia_El Calafate (273)

.não é cenário do novo filme do Spielberg.

Por Má-Má.

»

  1. Que maravilhosa, Ma!
    A natureza me encanta!

    Morro de vontade de ver uma geleira assim de perto…tenho certeza que eh uma experiencia inesquecivel!

    SAUDADE, gatita!

    apenas um P.s. (Porco alviverde eh bao tambem!)

  2. Pingback: Ssshhh(?) « A palavra final é: continue…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s