O dom da procrastinação

Padrão

Aposto que você, se estiver lendo esse post durante o horário de trabalho, sabe do que eu estou falando. O ato de procrastinar começa assim como o vício, como quem não quer nada. É um tal de “só vou olhar o Palavra pra começar o dia” pra lá, um “o que será que a Amy Winehouse (ou celebridade correspondente) aprontou agora?” pra cá e quando você se deu conta, já era. Você perdeu algumas horas de trabalho nesse lero-lero.

Mas a arte de adiar as tarefas não envolve só o trabalho não. Normalmente, ela está ligada a atividades muito chatas e que ninguém quer fazer. Tipo arrumar o guarda-roupa! Se fosse me deixar levar pelo bom senso, eu daria um trato nele a cada mês, mas a preguiça (mãe da procrastinação) faz com que eu adie essa tarefa chaaata pra apenas uma vez ao ano, antes do Natal. A tradição lá em casa diz que devemos fazer isso nessa época para dar espaço pras roupas novas que ganharemos de presente de Natal. Confesso que a falta desses regalos nos últimos anos não andam me motivando pra fazer isso esse ano…

Ah, tem aquela coisa pela qual todos passamos, homens e mulheres, ainda que eu preferiria ser homem para ter que passar menos por isso: idas ao médico. Sim, porque só o fato de ser mulher já te obriga (teoricamente) de frequentar o consultório do doutor pelo menos uma vez a mais no ano do que o seu semelhante do sexo oposto. Mas falemos daquelas necessidades mais esporádicas, como uma conjuntivite, dermatite, escoliose e por aí vai. Tem coisa mais chata do que falar do que não vai bem com você pra uma pessoa que você não conhece (ou pelo menos não tem a intimidade que você gostaria de ter antes de tratar de tais assuntos)? Saber que seu organismo não está 100% já é algo muito ruim. Ter que compartilhar é ainda pior.

Mas OK, passada a situação com o doutor, é preciso realizar aquele monte de exames. E muitas vezes, precisa fazer jejum pra isso E acordar mais cedo na data em que a tal da coleta vai ser realizada. Na boa, isso tudo é muito chato! E aí a gente vai chegando à conclusão de que só adiamos aquilo que é chato, irritante, mal recompensado, que nos tira o sorriso do rosto. Até o momento em que não dá mais.

Ta bom, vai. Amanhã eu passo lá na faculdade pra solicitar o diploma. Mas antes eu preciso renovar minha habilitação. Droga, como é que eu faço isso mesmo? Vou pesquisar na internet, quem sabe, eu descubro também como eu faço pra começar uma previdência privada. Mas antes, deixa eu terminar de escrever o post do Palavra…

Por Carrô.

Anúncios

Uma resposta »

  1. hahahahahahahaha
    genial!!!
    é o mal do século, carol!!
    a SUPER fez uma matéria sobre isso há algumas edições!!!
    nós, procastinadores, não estamos sozinhos nesse mundo!!! aliás, somos maioria. ah, se eu tivesse acesso aos sites que meus vizinhos de baia estão visitando nesse momento….hahahaha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s