O dizer e o fazer

Padrão

 

Hoje acordei estranha e então, estranho será meu post. Quanta distância existe entre os dois verbos desse título? Pára tudo. Ainda falta muita força de vontade ou medo para fazermos o que dizemos? Adoro aquela frase de que o medo é o que faz as pessoas terem limites na vida. Se ninguém tivesse medo de nada, nunca pensariam meia vez para invadir o espaço do outro. Se bem que isso é mais freqüente do que gostaríamos que fosse realmente. Mas por outro lado, imaginem o que seria um mundo habitado por pessoas que fariam tudo exatamente como haviam dito horas, minutos, dias ou anos atrás? Seria muito previsível. Não? Eu não sei por que, mas ao mesmo tempo em que gosto da previsibilidade de algumas pessoas, odeio de algumas.

 

Essa foto eu tirei do meu celular quando passeava pela Av. Paulista. A idéia é ótima: ali era para ter, tinha ou vai ter uma árvore. Isso está sinalizado, praticamente prometido. Para quem? Para todos que andam pela avenida e se surpreendem ao ver uma árvore, ou um projeto dela.

 

O mundo está mesmo acabando? O homem o está destruindo? Quando as árvores existentes não mais serão capazes de purificar nosso ar? Eu quero mais é que todas essas respostas não tenham nada a ver com tudo que o homem anda especulando sobre elas. Mas infelizmente, não consigo me enganar como gostaria.

 

Como boa RP que sou, faço aqui apologia ao discurso alinhado às ações.  Isso porque acredito que muitas vezes as pessoas são melhores do que aparentam ser. Gostariam de ser mais cruéis. Mais más para provar que não são moles, que são independentes do mundo natural em que vivem. Mas gente, não precisa falar que vai plantar uma arvorezinha para compensar todo papel higiênico que você já usou e vai usar na vida. Mesmo porque, para isso, seria necessário plantar um jardim, pelo menos. Então, vamos alinhar nossas atitudes do dia-a-dia ao que pensamos e dizemos para nós mesmos, quando estamos sozinhos. Não precisa anunciar que ao sair do quarto, você apaga a luz ou enquanto se ensaboa no banho, fecha o chuveiro. Apenas do it, meu bem.

 

Hoje acordei um pouco revoltada com os falares e dizeres e especulares e sonhares e poetizares. Eu quero é fazeres, cumprires, resultares, viveres para veres. Ok? Afinal, o jardineiro é Jesus e as árveres somos nozes.

 

Nada de pintar a árvore no chão para dizer que ali será plantada. Apenas plante.

 

E se querem saber: no lugar indicado, foi construído um canteiro de concreto, bem gelado, bem sem vida. Acho que mudaram de idéia quanto à coitada da árvore.

 

Por May.

Anúncios

Uma resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s